domingo, 20 de agosto de 2017

Carne como prova de comunhão é uma doutrina inventada pela ASD-MR

Estudo retirado de um grupo de whatsapp postado pelo Pastor Benildo Gabriel

Irmãos, nós apresentamos mais de 8 textos de Ellen White em datas diferentes, mostrando que carne não é prova de comunhão. Os irmãos da reforma não apresentaram nenhum.


Eles não tem embasamento bíblico nem nos escritos de Ellen White, para colocar a carne como ponto doutrinário. Esta doutrina foi inventada pelos líderes reformistas, isso está muito claro.

Nós mostramos vários textos, escritos após a visão de Ellen White sobre a reforma de saúde. E ela nunca colocou a carne como prova de comunhão.

Vamos relembrar?

Em 1881, 18 anos após a irmã White ter tido a visão sobre a carne ela escreveu que a carne não é prova, mas o Sábado é.

"A questão a cerca de se devemos comer manteiga, carne ou queijo, não deve ser apresentado como prova a quem quer que seja, mas devemos educar as pessoas, mostrando os males das coisas que são censuráveis. Os que apanham estas coisas e as impõem aos outros não sabem qual a obra que estão realizando. A Palavra de Deus deu prova para Seu povo. A observância da Santa Lei de Deus, o Sábado, é uma prova, um sinal entre Deus e Seu povo através de todas as suas gerações, para sempre. Para sempre isto será o tema principal da mensagem do terceiro anjo - os mandamentos de Deus e o testemunho de Jesus Cristo’’ (Mensagens Escolhidas, Vol. III, p. 287).

Ainda em 1881, 18 anos após a visão a irmã White escreveu que carne, ovos, manteiga e queijo não poderia ser colocado em pé de igualdade com café,fumo e álcool. Mas a igreja da reforma pega a carne e coloca em pé de igualdade com o álcool e fumo. Eles não obedecem a orientação dá profetisa!!!

“Chá, café, fumo e álcool precisam ser apresentados como condescendências pecaminosas. Não podemos pôr a carne, os ovos, a manteiga e o queijo em pé de igualdade com esses artigos colocados sobre a mesa. Estes não devem ser postos na frente, como tema principal da nossa obra. Os primeiros - chá, café, fumo, cerveja, vinho e todas as bebidas alcoólicas - não devem ser ingeridos moderadamente, mas rejeitados" ME.vol.III,p.287

Em 1895, 32 anos após a visão ela escreveu:

“Nunca julguei ser meu dever que ninguém deveria provar carne, sob quaisquer circunstâncias. Dizer isto, quando o povo tem sido educado a viver de comer carne em tão grande medida, seria levar ao extremo a questão. Nunca senti ser dever meu fazer asserções arrasadoras. O que tenho dito, disse-o sob uma intuição do dever, mas tenho sido cautelosa em minhas afirmações, porque não queria dar ocasião para qualquer pessoa ser consciência para outro"... (Conselho Sobre Regime Alimentar, p. 62).

Em 1896, 33 anos após a visão, ela relatou que a questão de comer carne não deve ser colocado como teste.

"Entre o povo em geral, a carne é usada largamente, por toda classe. É o artigo de alimentação mais barato; e mesmo onde a pobreza impera encontra- se em geral a carne sobre a mesa. Por isso, tanto maior a necessidade de usar de prudência com a questão de comer carne. Com relação a este assunto não deve haver movimentos precipitados. Devemos considerar a situação do povo, e o poder de hábitos e práticas de vida inteira, e devemos ser cautelosos em não impor aos outros nossas ideias, como se esta questão fosse um teste, e os que comem carne fossem os maiores pecadores” (Conselho Sobre Regime Alimentar, p. 462).

Ainda em 1896, 33 após a visão Ellen White escreveu:

“Não deveis fazer prescrições dizendo que nunca devam ser usados alimentos cárneos, mas educar a mente, e deixar aí penetrar a luz. Seja a consciência da pessoa despertada no que concerne a conservação própria e a pureza de todo apetite pervertido... Esta questão de comer carne deve ser tratada com precauções" (Concelhos Sobre Regime Alimentar, p. 291).

Em 1902, 39 anos depois da visão ela escreveu:

“Se bem que não tornemos o uso do alimento cárneo uma prova, se bem que não queiramos forçar ninguém a abandonar seu uso, todavia, é o nosso dever instar para que ministro algum da associação faça pouco da mensagem nesse ponto, ou a ela se oponha. Se em face da luz que Deus tem dado a cerca do efeito de comer carne sobre o organismo, continuais ainda a fazê-lo, deveis sofrer as consequências” (Conselhos Sobre Regime Alimentar, p. 401).

Tudo isso no tempo da expiação irmãos da igreja da reforma!!! Que começou em 1844!

Em 1907, 44 anos após a visão a irmã White escreveu que mandou matar umas galinhas. E aí?

“Certa ocasião Sara (Mc Enterfer) foi chamada para uma família em Dora Creek, onde todos os membros da casa estavam doentes. O pai pertencia a uma família altamente respeitável, mas dera para beber, e a esposa e os filhos estavam em grande necessidade. Nesse tempo de doença, não tinham em casa coisa alguma apropriada para comer. E recusaram-se a comer tudo que lhes levamos. Estavam acostumados a comer carne. Concluímos que alguma coisa devia fazer. Eu disse a Sara: *Apanhe umas galinhas do meu galinheiro, e prepare-lhes um caldo.*Assim Sara os tratou em sua doença, dando-lhe desse caldo. Logo se restabeleceram". (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 466)

Tudo isso no tempo da expiação irmãos da igreja da reforma!!! Que começou em 1844!

Em 1909, 46 anos após a visão ela escreveu:

"Não estabelecemos regra alguma para ser seguida no regime alimentar, mas dizemos que nos países onde abundem as frutas, cereais e nozes, os alimentos cárneo não constituem alimentação própria para o povo de Deus.

Não nos compete fazer do uso da alimentação cárnea uma prova de comunhão, devemos, porém, considerar a influência que crentes professos, que fazem uso de carne, têm sobre outras pessoas" (Conselho Sobre Regime Alimentar, p. 404).

Tudo isso no tempo da expiação irmãos da igreja da reforma!!! Que começou em 1844!

Texto escrito em 1911
, 48 anos após a visão.

"Não estou autorizada a aconselhar que façamos do comer carne um ponto de prova para nosso povo. Há algumas coisas sobre este assunto que eu posso escrever para ser lido ante as igrejas, que é essencial para os crentes entender; mas quando se trata de fazer disto um ponto de prova, não me atrevo a colocá-lo diante de nosso povo nessa forma positiva. Há aqueles que iriam tropeçar sobre essa apresentação, e há outros que fazem dele uma pedra de tropeço. {Ms23-1911 (10 de Outubro, 1911)

Tudo isso no tempo da expiação irmãos da igreja da reforma!!! Que começou em 1844!

Quem come peixe, não pode batizar. Quem comer peixe sendo da igreja, terá que ser disciplinado. Quem inventou esta doutrina?

Os líderes da igreja da reforma, sem nenhuma base bíblica, bem como nos escritos de Ellen White. A igreja Adventista do Sétimo Dia nunca colocou a carne limpa como prova de comunhão, pois esta doutrina não tem sustentação na palavra de Deus. É uma doutrina de homens

Irmão Ediberg, quem diz que não pode fazer da carne prova de comunhão, não somos nós, mas Ellen White meu amigo. Nós aceitamos todos os textos de Ellen White que falam contra a carne, o leite, açúcar,etc. Mas também aceitamos os vários textos que ela escreveu em diferentes anos, dizendo que carne não é prova de comunhão.

Sabe qual é o diferencial? É que nós aceitamos todos os textos de Ellen White, mas a reforma não aceita. A igreja dá reforma só aceita os textos que ela fala duro contra a carne e mesmo assim, interpretam incorretamente dizendo que é prova de comunhão.

Que falta de discernimento é este?

Misericórdia!!!

Mas uma vez refresque a memória ai com este texto:

Texto escrito em 1911, 48 anos após a visão.

"Não estou autorizada a aconselhar que façamos do comer carne um ponto de prova para nosso povo. Há algumas coisas sobre este assunto que eu posso escrever para ser lido ante as igrejas, que é essencial para os crentes entender; mas quando se trata de fazer disto um ponto de prova, não me atrevo a colocá-lo diante de nosso povo nessa forma positiva. Há aqueles que iriam tropeçar sobre essa apresentação, e há outros que fazem dele uma pedra de tropeço. {Ms23-1911 (10 de Outubro, 1911)

Nós devemos seguir o exemplo da profeta. Concordo com Ediberg.

1º deixando de comer carne;

2º Não colocar a carne como prova de comunhão.

Ao mesmo tempo que a profeta abandona a carne ela afirma que não é prova de comunhão.

A Reforma é muito incoerente. Quer tomar como prova de comunhão só porque a profeta deixou de comer carne, mas não aceita a orientação da própria profeta de que a carne não é prova de comunhão. Segue o primeiro exemplo, mas desprezam o segundo.

É Muita Incoerência!!!







2 comentários :

  1. Se já é difícil uma pessoa que come carne se converter e vir para a igreja, imagina ainda ter que parar de comer carne.
    Por isso, a igreja da reforma não cresce. Eles estreitam mais o caminho, que já é extremamente estreito.
    A propósito, eu já era vegetariano antes de ser adventista.

    ResponderExcluir

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...