sábado, 18 de agosto de 2012

O Viver Saudável e a Igreja ASD Movimento de Reforma

A mensagem do viver saudável é uma das grandes verdades outorgadas ao povo do Advento. O Senhor deu esta mensagem a fim de preparar um povo para resistir na última grande crise. Segundo o Espírito de Profecia, a doutrina da saúde é para a igreja o que o braço direito é para o corpo. Ninguém pode questionar os benefícios que se obtêm seguindo as orientações do Espírito de Profecia sobre este assunto. Devidamente compreendida e vivida, pode trazer saúde e um aumento na duração da vida, conforme tem demonstrado a pesquisa médica.

Quando a mensagem é pervertida, porém, pode resultar em fanatismo, enfermidade, ou morte. O Movimento da Reforma tem enfatizado a mensagem da saúde, mas frequentemente sem a devida orientação ou verdadeira compreensão. Essencialmente, toda a mensagem da saúde se centraliza na dieta. Muito pouco é mencionado a respeito do exercício e da necessidade de repouso suficiente.

O povo que vive naquelas regiões do mundo onde se tomam as posições mais extremistas sobre dieta, pouco ou nada sabe acerca de simples saneamento. Por exemplo, lembro-me de uma experiência por que passei enquanto visitava um dos países da America Central. A Missão operava uma padaria em seu terreno. Os obreiros, supostamente, preparavam pão bom e saudável. Para minha surpresa e horror, os Paes em crescimento eram cobertos de moscas. Um gato corria livremente pela panificadora, e um papagaio pousava em uma janela aberta que havia por perto. O diretor não via nenhum problema nessas condições, embora fosse demasiadamente estrito em outras áreas do viver saudável.

A verdadeira reforma da saúde lida com todas as áreas da vida, não apenas uma. Onde estão os programas dirigidos pelo Movimento da Reforma para ajudar o povo a alcançar a vitória sobre o hábito do fumo, por exemplo, ou programas para ajudar o povo a começar um novo e mais saudável estilo de vida? A Reforma (SMI) tem apenas uma instituição na Alemanha e poucas salas de tratamento em alguns países que tentem empreender tal obra.

O Espírito de Profecia apela ao povo para viver à altura da luz que o Senhor tem dado em relação ao viver saudável. Se negligenciarem ou desconsiderarem a mensagem, sofrerão os resultados, não apenas física mas também espiritualmente. Contudo, a igreja não foi autorizada a forçar seus membros em submissão aos seus ideais dietéticos. Citarei apenas uma das muitas declarações sobre este assunto, especialmente aplicada ao assunto dos alimentos cárneos.

“Não demarcamos qualquer linha divisória a ser seguida na dieta; mas dizemos que em países onde haja frutas, cereais e nozes em abundância, o alimento cárneo não é o alimento adequado para o povo de Deus. Fui instruída de que o alimento cárneo tem a tendência de animalizar a natureza, de roubar os homens e mulheres do amor e simpatia que devem sentir por todos e de conferir as paixões mais baixas o domínio sobre as faculdades mais elevadas do ser. Se comer carne já foi saudável, não é seguro agora. Cânceres, tumores e doenças pulmonares são largamente causados pelo alimento cárneo.” ( Testimonies for the Church, vol. 9, pág. 159.)
Baseado nesta e noutras declarações semelhantes, o Movimento de Reforma fez disto um teste mundial de comunhão, determinando que nenhuma carne deve ser comida por seus membros. Esta posição, embora bem-intencionada, bloqueia a proclamação da última mensagem em países onde outros alimentos além da carne não estão prontamente
disponíveis. Como seria possível os reformistas levarem a mensagem para os esquimós, por exemplo? Apesar do fato de que eu sou vegetariano confirmado, vejo que esta posição rígida limita o avanço do evangelho. Além disso, coloca os ensinos da igreja acima dos ensinos da Bíblia e do Espírito de Profecia.

Em um seminário no qual ensinei na America Central, alguns dos estudantes me pediram que confirmasse sua convicção de que Cristo, enquanto esteve na Terra, não comeu carne. Em vez de responder a esta pergunta com um Sim ou Não, sugeri que recorrêssemos as Escrituras. A Bíblia afirma claramente que Cristo comeu peixe juntamente com os discípulos. Mesmo após a Sua ressurreição
Ele comeu peixe. “Então Lhe apresentaram um pedaço de peixe assado [e um favo de
mel], E Ele comeu na presença deles” (Lucas 24:42 e 43). Isto chocou de tal modo os estudantes que eu temi que eles perdessem a fé em Cristo. A reforma da saúde tornou-se tão distorcida em sua mente que assumiu a precedência sobre o exemplo de Jesus.

Nem a Bíblia nem o Espírito de Profecia promove tais distorções da verdadeira mensagem para estes últimos dias. Seguindo imediatamente a declaração já citada, encontramos o seguinte:
 “Não devemos fazer o uso do alimento carne um teste de comunhão, mas deveríamos considerar a influencia que crentes professos que usam tais alimentos tem sobre os outros. Como mensageiros de Deus, não deveríamos dizer ao povo: 'Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus’? I Corintios 10:31. Não daremos um testemunho decidido contra a condescendência com o apetite pervertido? Será que aqueles que são ministros do evangelho, que proclamam a mais solene verdade que já foi dada aos mortais, darão um exemplo voltando às panelas de carne do Egito?” (Idem, págs. 159 e 160 (ênfase suprida).

Há uma grande diferença entre dar um testemunho decidido e impor uma prova de comunhão. Existe uma grande diferença entre controlar o povo no caminho que deve seguir, e o que é designado na comissão evangélica. “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias ate à consumação do século” (Mat. 28:19 e 20). Não há nenhuma comissão para forçar os conversos a seguirem os ditames da igreja.

Este assunto foi discutido em uma comissão do Movimento da Reforma (SMI). Foi declarado que embora o Espírito de Profecia proibisse fazer uso do alimento cárneo uma prova de comunhão, a Associação Geral tinha autoridade para fazer do seu uso uma prova. Tal posição é um insulto ao princípio de que todas as doutrinas devem ser baseadas em um claro “Assim diz o Senhor”.

Fazendo do assunto do consumo de carne um teste de comunhão, os reformistas estão em violação direta dos escritos da serva do Senhor. Sua atitude virtualmente veda a entrada no reino daqueles que talvez não sejam capazes, por causa das circunstancias, de viver plenamente esta parte da mensagem. Deste modo, a mensagem do viver saudável se tornou em uma maldição ao invés de em uma benção.

Em muitas regiões do mundo, os reformistas perverteram a mensagem da saúde, dando-lhe precedência sobre as três mensagens angélicas e mesmo sobre os Dez Mandamentos. Naquelas regiões, a mensagem da saúde deixou de ser o braço direito
para ser o corpo todo. Nunca foi esta a intenção do Senhor.

Exorto cada um a estudar a luz dada e a por a vida em conformidade com essa luz. Não olhe para os outros. Você não terá de responder por eles. Teremos de responder por nos mesmos diante do Senhor pelo uso que fazemos da luz dada. Que venhamos a perceber nossa responsabilidade pessoal.

Fonte: Capítulo 6, páginas 127 a 132 do livro “Os Adventistas da Reforma” de Helmut H. Kramer

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...