quarta-feira, 13 de junho de 2012

O Verdadeiro Movimento de Reforma

Não há dúvida de que temos chegado à própria véspera da hora suprema, e de que o chamado para uma conversão genuína e uma reforma cabal na vida de cada um, deve ressoar por todos os recantos da igreja.

“Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação”. – SC, 53.

“Importa haver diligente esforço pra obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque

nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la. Nosso Pai celeste está mais disposto a dar Seu Espírito Santo àqueles que Lho peçam, do que pais terrenos o estão a dar boas dádivas a seus filhos. Cumpre-nos, porém, mediante confissão, humilhação, arrependimento e fervorosa oração, cumprir as condições estipuladas por Deus em Sua promessa pra conceder-nos Sua bênção”. – ME, 121.

“O povo de Deus não suportará a prova a menos que haja um reavivamento e uma reforma entre o povo de Deus, mas esta deve começar sua obra purificadora entre os pastores.” – I T, 469

“Haja uma reforma entre o povo de Deus”. – MJ, 317.

“Tem que ter lugar um reavivamento e reforma, sob o ministério do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diferentes. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, uma vivificação das faculdades do espírito e do coração, um ressurgimento da morte espiritual. Reforma significa reorganização, mudança de idéias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não produzirá os bons frutos da justiça a menos que esteja ligada a um reavivamento do Espírito.

Reavivamento e reforma devem fazer a obra que lhes é designada, e para fazerem essa obra têm de se unir.” – SC, 42.

“Fiquei profundamente impressionada por cenas que me foram recentemente apresentadas à noite. Parecia haver um grande movimento – uma obra de reavivamento – ocorrendo em muitos lugares. Atendendo ao chamado de Deus, nosso povo se estava arregimentando. Irmãos, o Senhor nos está falando.

Escutaremos a Sua voz? Não acenderemos nossas lâmpadas, e não agiremos como homens que esperam a vinda de seu Senhor? Este tempo exige portadores de luz, requer ação.” – III TS, 441.

Características da Reforma

Satanás, porém, tem estado a trabalhar assiduamente para desviar a autêntica reforma espiritual que o Senhor quer operar no seio da igreja.

Este tem sido o método do grande inimigo desde os dias antigos: adulterar o verdadeiro e oferecer uma falsificação, para promover a desordem, o caos e a perdição, em lugar da verdadeira conversão e a vida eterna.

A Falsa Reforma

“Em todo avivamento está ele (Satanás) pronto para introduzir os de coração não santificado e desequilibrados de espírito… Nenhuma reforma, em toda a história da igreja, foi levada avante sem encontrar sérios obstáculos, a assim foi no tempo de Paulo. Onde quer que o apóstolo fundasse uma igreja, alguns havia que professavam receber a fé, mas introduziam heresias que, uma vez aceitas , excluiriam finalmente o amor da verdade.” – GC, 396.

“Germinara por toda a parte a semente que Lutero lançara… Passou (Satanás) a tentar o que havia experimentado em todos os outros movimentos de reforma – enganar e destruir o povo apresentando-lhe uma contrafação em lugar da verdadeira obra.” – GC, 186.

O mesmo que fez em épocas passadas tem o pai da mentira estado a fazer em nosso tempo. Procura hoje desorganizar o movimento adventista e confundir os filhos de Deus.

É assim que, tanto em nossa história como movimento, como particularmente nestes últimos anos, têm surgido inúmeros grupos dissolventes que a si mesmo se denominam sinceros, quando na realidade só fazem destruir. Sua obra não resistirá à prova bíblica: “Por seus frutos os conhecereis” (Mat. 7:16).

Espírito de Contenda e Revolução

Um traço muito comum nos falsos movimentos é o espírito de discórdia, revolução, oposição doutrinária, e critica destrutiva particularmente em relação à organização da igreja e sua liderança.

No entanto, veja qual é uma das principais características de uma verdadeiro movimento de reforma sincero: “É chegado o tempo para se realizar uma reforma completa. Quando esta reforma começar, o espírito de oração atuará em cada crente e banirá da igreja o espírito de discórdia e luta.” – III TS, 254.

Fanatismo e Cuidados Necessários

Entre as armas que Satanás usará para desmontar os planos de Deus de proclamar e promover uma reforma entre o Seu povo, figura o fanatismo: “O Fanatismo aparecerá em nosso próprio meio. Virão enganos, e de tal natureza que, se fora possível, desviariam até os escolhidos.” – II ME 16

Cuidado para não se confundir entre o verdadeiro reavivamento e o falso: “Quando o Senhor opera mediante instrumentos humanos, quando os homens são movidos como poder do alto, Satanás leva seus agentes a exclamar: Fanatismo! E a advertir o povo a não ir a extremos.

Cuidem todos quanto a soltar esse brado. Pois, conquanto haja moedas falsas, isso não diminui o valor da que é genuína. Porque há reavivamentos e conversões espúrias, não se segue daí que todos os reavivamentos devam ser tidos em suspeita. Não mostremos o desprezo que os fariseus manifestavam quando disseram.: “Este homem recebe pecadores” (Lucas 15:2). – OE pág. 170

Nova Luz ou Verdade Estática

Outro dos métodos que o arquienganador utiliza para ludibriar as almas incautas é a proclamação de alguma “nova luz” ou de que a “Verdade é estática”.

“Surgirão homens e mulheres proclamando possuir alguma nova luz ou alguma nova revelação, e cuja tendência é abalar a fé nos marcos antigos. Suas doutrinas não resistem à prova da Palavra de Deus. Mesmo assim, almas serão enganadas.” – II TS, 107.

Quais são os antigos marcos que não poderão ser modificados e que pessoas de dentro da igreja tentarão mexer dizendo-se portadores de nova luz?

“A passagem do tempo em 1844 foi um período de grandes acontecimentos, expondo ao nosso admirado olhar à purificação do santuário que ocorre no Céu, e tendo clara relação com o povo de Deus na Terra, e com as mensagens do primeiro, do segundo e do terceiro anjo, desfraldando o estandarte em que havia a inscrição: “Os mandamentos de Deus e a fé de Jesus”.

“Um dos marcos desta mensagem era o templo de Deus, visto no Céu por Seu povo que ama a verdade, e a arca contendo a lei de Deus. A luz do Sábado do quarto mandamento lançava os seus fortes raios no caminho dos transgressores da lei de Deus. A não-imortalidade dos ímpios é um marco antigo. Não consigo me lembrar de mais nada que possa ser colocado na categoria dos antigos marcos.” – Counsels to Writers and Editors, pág. 30 e 31.

Ellen White e outros fundadores também incluíram a literal, visível e pré-milenial segunda vinda de Jesus na lista de suas poucas doutrinas demarcatórias. Ellen White provavelmente a omitiu da lista mencionada acima porque ninguém pensaria em questionar algo tão essencial para ser adventista.

A Descoberta da Verdade é Progressiva

O segundo erro, em direção totalmente contrária a anterior, característico de alguns falsos movimentos é considerar o desenvolvimento teológico da igreja como algo não passível de ampliação, esclarecimento e mudança.

Nós, Adventistas do Sétimo Dia, aceitamos a Bíblia como nosso único credo e cremos que uma “igreja reformada é sempre reformanda”, isto é, as trevas morais e espirituais levaram milhares de anos para enterrar as verdades bíblicas e não é em poucos anos que a obra de proclamação da Verdade em toda a sua luz seria executada. A igreja é constantemente levada pelo Espírito Santo a uma compreensão mais completa da verdade bíblica. As verdades de Deus vão aparecendo como o nascer do sol até ser dia perfeito.

“Haverá um desenvolvimento da compreensão, pois a verdade é suscetível de contínua ampliação… Nossa investigação da verdade ainda é incompleta. Temos apanhado apenas uns poucos raios de luz.” (carta a P.T.Magan, 27/01/1903).

Como Deus age para desenvolver uma doutrina dentro da igreja?

Tomemos por exemplo a questão da carne de porco. Muitos dos pioneiros se alimentavam dela sem a menor cerimônia, quando esta verdade começou a chamar a atenção, surgiu este testemunho, que serve como exemplo de como Deus estabelece as doutrinas dentro de Sua igreja:

“Se for dever da igreja abster-se da carne de porco, Deus revelará essa verdade a mais do que dois ou três. Ele irá ensinar a Sua igreja o seu dever. Deus está conduzindo um povo, e não alguns indivíduos separados aqui e ali, um crendo numa coisa e outro crendo noutra… O terceiro anjo está conduzindo e purificando um povo, e ele deve avançar numa frente unida… Vi que os anjos de Deus conduziriam Seu povo não de maneira tão rápida que não pudesse receber as importantes verdades a ele comunicadas.” TPI – Vol. I – pág. 206.

“Não há desculpa para alguém adotar a atitude de que não há mais verdade a ser revelada, e que todas as nossas explicações das Escrituras não contêm erros”, escreveu Ellen White em 1892. “O fato de certas doutrinas terem sido mantidas durante muitos anos por nosso povo não é prova de que nossas idéias sejam infalíveis. O tempo não converte o erro em verdade,… Nenhuma doutrina autêntica é prejudicada pela pesquisa minuciosa.” CWE – Counsels to Writers and Editors. Pág. 35

No último livro da Bíblia, Apocalipse, encontramos a mais forte declaração sobre as condições espirituais da Igreja Remanescente nas palavras da Testemunha Fiel, Jesus:

“Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; pois dizes:

- Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma.

E nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois zeloso e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato…” (Apocalipse 3:14-20).

Desde que a salvação e a perdição são pessoais, a aceitação do testemunho da Testemunha Verdadeira por uma boa parcela da igreja militante resultará em reavivamento e reforma, os que o negarem serão joeirados na sacudidura.

A Testemunha Fiel apresenta a última igreja como estando em um estado de apatia. O contrário de fé não é apostasia, mas apatia, e esse estado os leva a se orgulharem das conquistas que a Igreja tem feito ao redor do mundo. Porém, mesmo assim, Jesus garante à Igreja o Seu amor, manifesto em repreensão e conselho:

Repreensão: “És infeliz, miserável, pobre, cego e nu”. Que situação a nossa!?!

Conselho: comprar ouro refinado pelo fogo, que é uma fé purificada e colírio para clarear nossa percepção espiritual, ambas as situações são obra do Espírito Santo em nós e vestiduras brancas, que refletem a justiça de Cristo por nós.

Qual a garantia de que a igreja aceitará o testemunho fiel?

Em Apocalipse 19:7-8 é apresentada a igreja como vitoriosa e triunfante:

“Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe glória, por que são chegadas as bodas do Cordeiro, cuja esposa a si mesma já se ataviou, pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos.”

Bem, agora que já sabemos da situação prevista para a igreja nestes últimos dias, precisamos tomar nossa decisão individual de fazer parte dos sinceros, reavivados e reformados nos últimos dias, ou, daqueles que se retirarão da igreja em virtude do testemunho fiel.

Lembre-se salvação e perdição são individuais, temos que tomar nossa decisão pessoal e intransferível hoje mesmo.

Uma Franca Mensagem de Amor

“Eu repreendo e disciplino a quantos amo, sê, pois, zeloso e arrepende-te”

“A mensagem laodiceana aplica-se ao povo de Deus que professa crer na verdade presente. A maior parte são professos mornos, tendo o nome, mas faltando-lhes o zelo… Aplica-se a esta classe o termo “morno”. Professam amar a verdade, todavia são deficientes no fervor e no devotamento cristão. Não ousam desistir inteiramente e correr o risco dos incrédulos, não se acham, no entanto, dispostos a morrer para o próprio eu e seguir exatamente os princípios de sua fé…

Não se empenham inteiramente e de coração na obra de Deus, identificando-se com Seus interesses; mas, se mantêm afastados, e estão prontos a deixar seus postos quando os interesses mundanos e pessoais o exijam. Carecem da obra interior da graça no coração.” – I TS, págs. 476 e 477.

“A mensagem de laodicéia se aplica aos adventistas do sétimo dia que têm recebido grande luz e não têm andado nela. São os que têm feito uma grande profissão, mas não se têm mantido em passo com o seu Diretor, os que serão vomitados de Sua boca a menos que se arrependam.” – II ME, pág. 66.

“Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os enfermos”, declarou o Senhor. E acrescentou: “Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores” (Marcos 2:17). “Pois todos pecaram, e estão destituídos da glória de Deus” (Rom. 3:10 e 23).

Somente os presunçosos ou os preguiçosos não se verão nas palavras descritas acima, o Espírito Santo é aquele que nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Os presunçosos, porque não se acham tão maus assim; os preguiçosos, porque não têm discernimento de sua própria condição de desespero, estão apegados à apatia do pecado.

Reavivamento & Confissão de Pecados

Reavivamento significa renovação da vida espiritual, uma vivificação das faculdades do espírito e do coração, um ressurgimento da morte espiritual. A Bíblia afirma: “O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia” (Prov. 28:13).

O Espírito de Profecia completa: “As condições para obter misericórdia de Deus são simples, justas e razoáveis. O Senhor não requer de nós atos penosos a fim de que alcancemos o perdão dos pecados. Não precisamos empreender longas e afadigantes peregrinações, nem praticar duras penitências a fim de recomendar nossa alma ao Deus do Céu ou expiar nossas transgressões. Mas o que confessa os seus pecados e os deixa, alcançará misericórdia.

“Diz o apóstolo: “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis” (Tiago 5:16). Confessai vossos pecados a Deus, que é o único que os pode perdoar, e vossas faltas uns aos outros. Se ofenderdes o vosso amigo ou vizinho, deveis reconhecer vossa culpa, e é seu dever perdoar-vos plenamente.

“Deveis buscar então o perdão de Deus, porque o irmão a quem feristes é propriedade de Deus e, ofendendo-o, pecastes contra seu Criador e Redentor. O caso será levado perante o único mediador verdadeiro, nosso grande Sumo Sacerdote, que “como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado”, e que Se compadece “das nossas fraquezas” (Hebreus 4:15), sendo apto para purificar-nos de toda mancha de iniqüidade.

“Os que não humilharam ainda a alma perante Deus, reconhecendo sua culpa, não cumpriram ainda a primeira condição de aceitabilidade. Se não experimentamos ainda aquele arrependimento do qual não há arrepender-se, e não confessamos os nossos pecados com verdadeira humilhação de alma e contrição de espírito, aborrecendo nossa iniqüidade, nunca procuramos verdadeiramente o perdão dos pecados, e se nunca buscamos a paz de Deus, nunca a encontramos…

“A confissão de pecados quer pública quer privada, deve ser de coração, expressa francamente… e tem sempre caráter específico e faz distinção de pecados… sem rodeios, reconhecendo justamente os pecados dos quais sois culpados. – CC págs. 37 e 38.

“Justificados, pois mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo… Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rom. 5:1 e 8:1).

Reforma: Mudança de Direção

Conta-se que um besouro estava tentando subir pela centésima vez uma rampa que ficava cada vez mais alta, porém, todas as vezes que ele atingia certa altura ele caia na base e, ficava de patas para o ar.

O que você faria para ajudá-lo e tirá-lo desta situação? Pense um pouco. Não vale colocá-lo lá no alto, não vale empurrá-lo; o que fazer então?

Colocá-lo de patas no chão? Muito bem façamos isso, porém, veja, ele está subindo novamente e novamente cai. Qual a solução?

A solução é colocá-lo de pé, porém, você precisa mudar a direção, senão ele repetirá o caminho errado novamente, e cairá até o fim da vida. Entendeu?

Assim, é o que acontece na vida de muitos cristãos. Estão subindo na vida cristã, porém, vivem caindo em pecado, deixam-se levar pela apatia e desejos carnais, muitos cansam e desistem, apostatam de vez, outros, porém, vivem uma vida de perplexidades sem fim, o que fazer? A mesma coisa que fizemos com o besouro, mudar a direção para não repetir o mesmo caminho que levou a queda.

“A confissão não será aceitável a Deus sem o sincero arrependimento e reforma. É preciso que haja decisivas mudanças na vida; tudo que seja ofensivo a Deus tem de ser renunciado. Este será o resultado da genuína tristeza pelo pecado. A obra que nos cumpre fazer de nossa parte, é-nos apresentada claramente:

‘Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos Meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; praticai o que é reto, ajudai o oprimido, fazei justiça ao órfão, tratai da causa das viúvas” (Isaias 1:16-17). ‘Restituindo esse ímpio o penhor, pagando o furtado, andando nos estatutos da vida, e não praticando iniqüidade, certamente viverá, não morrerá” (Ezequiel 33:15). – CC pág. 39.

Passos Práticos para a Reforma Pessoal

1. Reconheça pessoalmente suas falhas de caráter e de seus pecados cometidos.
2. Confesse seus pecados quer publicamente, quando o pecado for contra um grupo de pessoas, e de forma particular diretamente a Deus e para com o próximo quando for o caso, seja específico.
3. Mude a direção da vida, saia do caminho já trilhado que leva para compromissos e atitudes pecaminosas.
4. Seja zeloso na prática das virtudes cristãs.
5. Busque mais fé e devoção pessoais diariamente.
6. Empenhe-se inteiramente e de coração na obra de Deus. Seja ativo na igreja.
7. Cuide que os interesses mundanos e pessoais não tomem o primeiro lugar, que é do reino de Deus.
8. Busque uma experiência mais profunda da graça em seu coração.
9. Ande no Espírito, na luz do conhecimento já recebido, um dia de cada vez.

Alguém, ainda, poderia perguntar: “Será que o apelo da Testemunha Fiel vai ser atendido pelo povo da igreja”?

Veja por si mesmo: “Em visões da noite passaram perante mim representações de um grande movimento reformatório entre o povo de Deus. Muitos estavam louvando a Deus. Os enfermos eram curados, e outros milagres eram operados. Viu-se um espírito de intercessão tal como se manifestou antes do grande dia de Pentecoste. Viam-se centenas e milhares visitando famílias e abrindo perante elas a Palavra de Deus. Os corações eram convencidos pelo poder do Espírito Santo, e manifestava-se um espírito de genuína conversão. Portas se abriam por toda parte para a proclamação da verdade. O mundo parecia iluminado pela influência celestial. Grandes bênçãos eram recebidas pelo fiel e humilde povo de Deus. Ouvi vozes de ações de graças e louvor, e parecia haver uma reforma como a que testemunhamos em 1844.” – III TS pág. 345.

A pergunta deve ser outra: “Você vai estar lá?”.

IASD em Foco

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...