quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Porque Deixei a "Reforma de 1914"

Testemunho de um ex-reformista publicado na Revista Adventista de 1962, vale apena ler!

"E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda." Isa. 30:21.

Aos ex-irmãos reformistas, parentes e conhecidos de vários Estados do Brasil, apresento por intermédio da Revista Adventista os motivos que me induziram a abandonar o "movimento de reforma de 1914" e unir-me à Igreja Remanescente.


Por 18 longos anos fiz parte dos "dois por cento", ou seja, "movimento de reforma de 1914", pois foi a nossa família, em toda essa grande

região, a primeira a abraçar os ensinos do Sr. Lavrik, líder do citado movimento.

Em Serra Nova (Condessa), município de Caruaru, Pernambuco, onde ainda resido, foi organizado o primeiro grupo do tal movimento, com as mais animadoras perspectivas, por parte do meu saudoso pai e o auxiliar missionário que para aqui foi enviado.

Apesar de bem jovem ainda, com todo o entusiasmo da mocidade, ombreei-me a meu pai — Otoniel — no afã de erguer esse glorioso movimento — "o quarto anjo de Apocalipse 18", conforme fomos ensinados, e ainda hoje continuam assim ensinando.

Meu pai, na qualidade de pioneiro aqui, sempre dizia: "Muito em breve este salão não comportará o grande número de conversos à reforma." Outras vezes, num misto de sinceridade e dúvida, citava Atos 5:38 e 39: "Se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas se é de Deus, não podereis desfazê-la... " Vivesse ainda hoje meu querido pai, e não tenho a menor dúvida de que lado estaria, pois todo o grupo voltou para a Igreja Adventista, com exceção de uns poucos que se mudaram. O salão das reuniões foi vendido, e hoje é uma casa de venda — boteco. O que resta de tantos anos de trabalho aqui em Pernambuco, está reduzido a um punhadinho de pobres almas descontentes, separadas da Igreja Remanescente no Recife.

Sendo ensinados ser este movimento o quarto anjo de Apocalipse 18, com razão esperávamos um progresso assustador; pois diz a serva do Senhor: "Grande poder e glória foram comunicados ao anjo e descendo ele, a Terra foi iluminada com a sua glória... Grandes prodígios eram operados, doentes eram curados, e sinais e maravilhas seguiam aos crentes...

"Servos de Deus, dotados de poder do alto, com seus rostos iluminados, e resplandecendo com santa consagração, saíram para proclamar a mensagem vinda do Céu." — Test. Sel., Vol. 2, págs. 223-225.

Afirma o texto que "descendo ele", a Terra foi iluminada com a sua glória. Notando, pois, que já há mais de 40 anos, o quarto anjo exerce as suas atividades neste movimento, fiquei decepcionado quando li em As Profecias do Apocalipse, pág. 338, o seguinte:

“... Ele vem, por assim dizer, mais perto da Terra com uma mensagem mais ao ponto e direta; e tem 'grande poder', e a Terra é 'iluminada com a sua glória'... Esta é a última [mensagem]; e como convinha, vem com grande glória e raro poder. É uma terrível hora em que o destino de um mundo deve ser decidido — uma crise soleníssima em que toda uma geração contemporânea da família humana deve passar os limites da provação... Nesse tempo o mundo não deve ser deixado sem aviso."

Vejo a Terra tão escura com o tal movimento de reforma, que se fosse o referido anjo, estaria dormindo! ... Em vez de poderoso, é um dos mais fracos movimentos religiosos; em vez de santa consagração, surgiram neste movimento homens briguentos, adúlteros e fraudulentos.

Considero uma blasfêmia o seguinte escrito dos reformistas:

"Na crise 1914-18, os fiéis que empunharam o estandarte e propagaram a verdade direta, protestando contra a traição, também foram excluídos da igreja. Assim surgiu o movimento do quarto anjo."— O Quarto Anjo na Profecia e História, pág. 16.

Discordo dos ensinos dos reformistas, que a mensagem do quarto anjo seja um outro movimento. Concordo com a irmã White, que o quarto anjo virá ao tempo devido unir sua voz com o terceiro anjo e dar poder e força a sua mensagem — a última grande obra, ao tomar esta o volume de um alto clamor.

Apostasia

Os primeiros ensinos que recebemos dos reformistas de 14, foram taxando a Igreja Adventista de Babilônia, prostituta e vomitada; coito de toda ave imunda e aborrecível, que a glória do Senhor dela se retirou e que seria a primeira a receber o golpe da ira de Deus. Seriam apenas dois por cento que escapariam da ira de Deus, pois, segundo dizem, constituem o povo remanescente. Tudo isto, diziam, porque a igreja apostatou.

Entre outras apostasias por eles citadas, em suas acusações à Igreja Adventista, chamavam de apostasia a Recolta, o batismo em tanques, projeções, meias cor da pele, uso de cintos pelas mulheres, ser reservistas, etc.

Os anos foram passando, e hoje, pela boca de seus próprios líderes, o tal movimento dos dois por cento também apostatou, ficando debaixo da mesma maldição por eles lançada à Igreja Adventista. Pois também recoltam, batizam em tanques, usam projeções, a questão das meias não mais se discute, seus membros usam cintos, e o próprio Sr. Lavrik disse-me ultimamente que eu poderia tirar meu documento de reservista, pois é um bom documento.

Creio que também futuramente será a questão do cálice individual na Santa Ceia, também por eles aceito, pois não acham base na Bíblia nem nos Testemunhos para a defesa do cálice comum. Apenas um capricho que, creio, será banido, pois a civilização ganha terreno, e também compreenderão o perigo de contágios que os antigos não respeitavam.

Remanescente

Convicto, segundo fui ensinado, de que "os dois por cento" também apostataram, fiquei aflito, sem saber qual era a Igreja Remanescente. Consultei-me com a irmã White, e compreendi claramente que aquela, e somente aquela organizada em 1844, continua sendo a verdadeira Igreja Remanescente.

Eis as provas, abreviadamente:

"Foi-me mostrado o modo por que o povo remanescente de Deus obteve seu nome...”

"Não podemos adotar outro nome que quadre melhor do que esse que concorda com a nossa profissão, exprime nossa fé e nos caracteriza como povo peculiar. O nome Adventista do Sétimo Dia é uma contínua exprobração ao mundo protestante...”

"O nome Adventista do Sétimo Dia exibe o verdadeiro caráter de nossa fé e será próprio para persuadir aos espíritos indagadores." — Test. Sel., Vol. 2, pág. 353.

A irmã White, como profetisa de Deus, nunca falou que em 1914 ou mesmo em 1922 mais ou menos, esse povo remanescente receberia o nome de "Adventista do Sétimo Dia — Movimento de Reforma", e nem que nessas datas em que surgiu esse pretenso movimento de reforma, o povo remanescente deixaria de ser remanescente, dando lugar a "dois por cento" de descontentes.

Ao contrário, temos o seguinte escrito, de 1913, um ano antes da cisão dos "dois por cento": "Sinto-me reanimada e feliz, ao imaginar que o Deus de Israel continua a guiar o Seu povo, e que continuará a estar com ele até ao fim... Devemos estimar como muito preciosa a obra que o Senhor tem estado a levar avante... Se tornará cada vez mais eficiente com o decorrer do tempo." — Life Sketches, págs. 437 e 438.

Essa "obra" é aquela de que em 1902 ela escreveu: "A obra está sob a supervisão do Bendito Mestre... Todas as partes da obra — nossas igrejas, missões, escolas sabatinas, instituições — tudo Ele tem no coração." — Test. Sel., Vol.2, pág. 353.

Instituições
Se devo crer que o movimento de reforma de 1914 seja a continuação do movimento de 1844, e que a maioria dos adventistas com todas as suas instituições deixou de ser o que era até 1913, como ensinam os reformistas, deixarei de crer nos escritos do Espírito de Profecia, que se seguem:
"Nossa obra de publicações foi estabelecida por direção de Deus e sob a Sua especial supervisão... e na realização dessa obra nossas casas publicadoras se encontram entre as mais eficientes instrumentalidades...

"Não se esqueça jamais que essas instituições devem cooperar com o ministério dos representantes do Céu ...

"É em grande parte por meio de nossas casas editoras que se há de efetuar a obra daquele outro anjo que desce do Céu com grande poder e, com sua glória, ilumina a Terra...

"Nossas instituições imprimirão dignidade à obra de Deus ...

"Nossas casas publicadoras são centros designados por Deus, e por meio delas há de ser realizada uma obra cuja magnitude não é ainda compreendida." — Test. Sel., Vol. 3, págs. 140-146.

Veja-se o seguinte escrito, de 1909:

"Nossas casas publicadoras e igrejas precisam de mais auxílio. Precisamos de todos os recursos disponíveis para continuar a obra empreendida” — Test. Sel., Vol. 3, pág. 335.

"Nossas publicações devem ir a toda parte. Sejam elas editadas em muitas línguas." — Idem, pág. 312. O "4º anjo" dos reformistas de 14 não pode desenvolver suas atividades, pois destacou-se da igreja remanescente, não conseguindo levar consigo as santas instituições que são instrumentos nas mãos de Deus, destinadas a cooperar na grande obra representada pelo primeiro, segundo e terceiro anjos. E, aquilo que em grande parte deveria ser efetuado por sua obra — as casas editoras existentes nos dias da irmã White, não conseguiu levar consigo, pois não é o verdadeiro 4º anjo de Apocalipse 18.

Felizmente também os "dois por cento" com o seu pretenso "quarto anjo," não puderam assenhorear-se das escolas, colégios e sanatórios da igreja remanescente, pois somente esta vem preenchendo as ordenanças inspiradas, tais como:

"Devem-se estabelecer escolas, mesmo que não haja mais de seis crianças para frequenta-las". — Test. Sel., Vol. 2, pág. 458.

"Estamos vivendo nos últimos dias. Aproxima-se o fim de todas as coisas. ... Ele quer que a luz de Sua graça resplandeça de muitos lugares. ...

"Por conseguinte, a obra missionária-médica deve ser levada avante com mais zelo que nunca dantes.

Essa obra é a porta pela qual a verdade conseguirá entrada nas grandes cidades, e devem ser estabelecidos sanatórios em muitos lugares. ...

"Nossos sanatórios são o braço direito do evangelho e abrem caminhos pelos quais a humanidade sofredora pode ser atingida pelas boas-novas de restauração mediante Cristo.

"Prossiga a obra do Senhor! Avancem as obras missionário-médica e educativa! ... "Devem ser fundadas escolas em vários lugares ...

"Logo, as portas que agora estão abertas haverão de fechar-se para sempre." — Test. Sel.. Vol. 3, págs. 366-371. (Grifos nossos.)

O Avanço da Mensagem

O quarto anjo separatista, ou seja a reforma de 1914 —os "dois por cento", não tem progresso. Limita-se a punhados, não avança, ao contrário decresce após um entusiasmo.

Quando criticados, citam "Porta estreita", "Pequeno rebanho", "Povo humilde e pobre", etc.

Fui ludibriado pelos seus ensinadores até o tempo em que li nos Testemunhos o seguinte:

"Chegou o tempo de serem feitas grandes coisas na Europa... Foi-me mostrado que em países da Europa, serão acesas luzes em muitos lugares...”.

“Há um trabalho para ser feito na Escandinávia”...

“É necessário auxílio na Itália, França, Escócia e em muitos outros países”. Um trabalho de maior vulto deve ser feito nesses lugares...

"Nossos esforços não devem ser restritos a uns poucos lugares onde a luz se tornou tão abundante que chega a não ser apreciada. A mensagem evangélica deve ser proclamada a todas as nações, e tribos, e línguas e povos." — Test. Sel.,Vol. 3, págs. 221-223.

"O amor de Deus à Sua igreja é infinito... Para todos tem Ele uma obra para fazer. Tem de haver constante aumento e progresso. A obra tem que estender-se de cidade a cidade, de país a país, movendo-se constantemente para frente e para cima, estabelecida, fortalecida e firmada." — Idem, pág. 392.

"Nossa senha é: Avante, sempre avante. Adiante de nós irão os anjos de Deus para preparar o caminho. A nossa responsabilidade pelas 'terras de além' nunca poderá cessar sem que a Terra inteira seja iluminada com a glória do Senhor." — Idem, pág. 220.

Claro que até o quarto anjo iluminar a Terra com a sua glória, a obra irá em constante progresso, sendo completada com o maravilhoso poder.

Ao contrário, o movimento de 1914, que se iniciou no atraso, desenvolveu-se atrasado, e, em proporção à época atual, prossegue atrasadíssimo.

Onde estão os milhares convertidos num dia?

O poder do 4º anjo — Chuva Serôdia — terá maior eficácia do que o poder do Espírito Santo nos dias apostólicos — Chuva Têmpora.

Não, senhores reformistas, vosso movimento não tem a aprovação profética; oxalá os sinceros que se acham no meio de vós o reconheçam, e unam-se à igreja remanescente!

Babilônia

Aprendi com os pretensos reformistas de 1914 acusar a Igreja Adventista e chamá-la de Babilônia.

Quando examinei mais de pertinho os escritos da irmã White, arrependi-me de ter seguido as instruções dos acusadores, abandonando-os e unindo-me à igreja remanescente.

Seria muito ridículo dizer que a irmã White pertenceu a Babilônia, defendeu Babilônia e morreu em Babilônia. Pelos ensinos dos pretensos reformistas, tudo indica que assim foi. Deixarei de seguir seus ensinos e atenderei à advertência do Espírito de Profecia:

"Quando se levanta alguém de nosso meio, ou fora de nós, tendo a preocupação de proclamar uma mensagem que declare que o povo de Deus pertence ao número dos de Babilônia e que pretenda que o alto clamor é um chamado para sair dela, podereis saber que esse tal não é portador da mensagem da verdade”...

E ainda mais:

"O Senhor não lhe deu uma mensagem para chamar os adventistas do 7º dia de Babilônia e convidar o povo de Deus a sair dela”...

"Em várias ocasiões tenho escrito longas cartas àqueles que acusavam a igreja adventista do sétimo dia como sendo Babilônia, dizendo-lhes que não lidavam com a verdade”...

“Digo no temor e amor de Deus: sei que o Senhor tem pensamentos de amor e misericórdia para restaurá-los e curá-los de todas as suas apostasias. Ele tem uma obra para Sua igreja realizar. Eles não devem ser pronunciados como sendo Babilônia”...

"Todo o capítulo (Apoc. 18) mostra que a Babilônia que caiu são as igrejas que não aceitaram as mensagens de advertência que o Senhor tem dado na primeira, segunda e terceira mensagens angélicas... Qualquer pessoa que leia este capítulo não necessita ser enganada". Carta 16, de 1893.

Disse Urias Smith:

“... Este testemunho não pode aplicar-se a nenhumas organizações senão as que saíram daquela igreja (católica)."

Os reformistas de 1914, separaram-se da igreja remanescente, sem nenhuma base nos testemunhos; e neste capricho diabólico, vivem sob o comando do arqui-inimigo, procurando destruir a igreja de Deus, criticando-a e procurando desviar dela as almas sinceras; alcançando algum êxito entre os descontentes, fracos na fé e ignorantes. Dezoito anos entre eles, colhi também, dentre outras, esta experiência.

Ensinam que devem ser eliminados da igreja os que comem carne, obrigando as mais pobres criaturas a comerem mesquinhamente o pão. Sou nordestino e conheço bem como vivem os pobres nos sertões deste nordeste brasileiro, onde jamais separação terá êxito. Fazem do uso da carne uma prova de comunhão, quando a irmã White diz que não se faça. Querem arrancar o joio da igreja, ao contrário do que falam os Testemunhos: "É verdade que há joio no meio do trigo; mas Cristo disse que enviará os Seus anjos para colher primeiramente o joio e atá-los em feixes para queimá-los, e recolherá o trigo no celeiro... Deixe-se o trigo e o joio crescerem juntos até a colheita. Então são os anjos que fazem a separação". — Carta 16 de 1893.

Conhecendo a história dos fundadores dirigentes do tal movimento de 1914 (Ver o folheto A Verdade sobre o Movimento da Reforma de 1914), sem dúvida nenhuma cri no que disse a irmã White em Test. para Ministros: "São mensagens como a desses homens, que dividem a igreja e nos envergonham perante os inimigos da verdade, e em semelhantes mensagens revela-se claramente a especiosa operação do grande enganador, que quer impedir a igreja de alcançar a perfeição da unidade... Afastai-vos desses; não tenhais comunhão com sua mensagem, por muito que eles citem os testemunhos e atrás deles busquem entrincheirar-se. Não os recebais; pois Deus não os incumbiu dessa obra".

E ainda a irmã White:

"Divisões na igreja desonram a religião de Cristo ante o mundo... Os que possuem a mente de Cristo terão de si mesmos opinião humilde. Trabalharão pela pureza e prosperidade da igreja, e estarão prontos a sacrificar seus próprios interesses e desejos, em vez de causar dissensão entre os irmãos". — Test. Seletos, Vol. 2, págs. 80 e 83.

A Reforma

"Tem de haver um movimento de reforma sob a direção do Espírito Santo". — Sp. Test, (1909).

Por este testemunho compreendi que a reforma será sob a direção do Espírito Santo e nunca sob a direção de outro movimento ou organização.

Vi pelos testemunhos que a verdadeira reforma será muito diferente da de 1914. Que o despertamento ou grande movimento entre o povo de Deus será de caráter muito diferente dos rebeldes de 1914.

Veja-se:

"Em muitos lugares parecia haver um grande movimento — um despertamento estava se operando. Nossos irmãos entraram nas linhas de luta, obedecendo ao chamado de Deus... Aqueles que se entregaram à direção do Espírito Santo, Deus chamou a fazer uma reforma completa". — Boletim da Conf. Geral, de 1913, pág. 34.

"Em visões da noite passaram perante mim representações dum grande movimento reformatório entre o povo de Deus... Os enfermos eram curados, e outros milagres eram operados. Viu-se um espírito de intercessão tal como se manifestou antes do grande dia de Pentecostes. Viam-se centenas e milhares visitando famílias, abrindo perante elas a Palavra de Deus... Portas se abriam por toda parte para a proclamação da verdade. O mundo parecia iluminado pela influência celestial". — Test. Seletos, Vol. 3, pág. 345.

Referindo-se à obra adventista em 1909, diz a serva do Senhor: "Nossa obra é reformatória..." — Test. Seletos, Vol. 2, pág. 409.

"Como embaixadora de Cristo eu vos rogo, a vós que professais a verdade presente,... Como um povo que professa ser REFORMADOR, de posse das mais solenes e purificadoras verdades da Palavra de Deus, devemos elevar a norma, muito mais do que está acontecendo agora. Deve-se tratar prontamente com o pecado e pecadores na IGREJA... Divisões na igreja desonram a religião de Cristo ante o mundo... Os que possuem a mente de Cristo terão de si mesmos opinião humilde. Trabalharão pela pureza e prosperidade da igreja, e estarão prontos a sacrificar os seus próprios interesses e desejos, em vez de causar dissensão entre os irmãos". — Test. Seletos, Vol. 2, págs. 37, 38, 80 e 83.

Quando se realizar a "reforma completa", diz a serva do Senhor que "O espírito de oração atuará em cada crente e banirá da igreja o espírito de discórdia e luta". — Testimonies, Vol. 5, pág. 139.

O que não se deu com os reformistas de 1914, pois desde o seu início que lutam em espírito de discórdia, registrando-se entre os seus dirigentes contendas, fraudes, adultérios etc.

Se a separação de 1914 fosse "REFORMA", a verdade deixaria de ser verdade.

Torcedores dos Testemunhos

Os reformistas de 1914 torcem os testemunhos para defenderem a separação. Citarei alguns trechos que foram sagazmente por eles levados a fim de me fazerem presa:

"Logo o povo de Deus será provado por ardentes provas... 'Aos que Me honram honrarei'... Permanecer em defesa da verdade e justiça quando a maioria nos abandona... Essa será nossa prova". — Test. Seletos, Vol. 2, pág. 31.

Diziam-me ter isto sido cumprido em 1914. Ora, se não fosse a confiança que eu lhes depositava logo compreenderia que o trecho supracitado é para o futuro, por ocasião das leis dominicais obrigatórias, pois o capítulo donde os separatistas extraíram o referido trecho assim trata:

"Logo o povo de Deus será provado por ardentes provas, e grande proporção dos que agora parecem genuínos e verdadeiros, demonstrar-se-á vil metal... A prova virá por certo. Trinta e seis anos atrás foi-me mostrado que o que agora se desenrola haveria de suceder, que seria imposta ao povo a observância de uma instituição do papado por meio de uma lei DOMINICAL, enquanto se pisaria a pés o santificado dia de repouso de Jeová". —Ibidem.

"A PROVA", diziam-me ser a de 1914. O mesmo testemunho tirado das págs. 80 e 81 de Testimonies, desmente-os: "Não está muito longe o tempo em que a PROVA virá

a cada alma. O sinal da besta nos será imposto... Nesse tempo o ouro será separado da escória".

Também apresentavam-me o seguinte texto, como referência à cisão de 14: "Ao aproximar-se a tempestade uma classe numerosa que tem professado fé na mensagem do terceiro anjo, mas que não tem sido santificada pela obediência à verdade, abandona sua posição passando para a fileira do adversário".

Torcem, pois, o capítulo de onde extraíram o trecho, e que é "Advertência Final", o qual tem uma aplicação total ao tempo em que for posta em vigor a lei dominical.

O texto que citam de Testimonies, Vol. 5, págs. 83 e 84: "A separação causará dor e amargura a ambas as partes. É a desunião da qual Cristo fala, dizendo que viria para trazê-la" — diziam-me referir-se à separação de 1914, quando o inteiro significado do texto se preocupa com a questão da conversão de uma alma e seu afastamento do mundo e dos seus amigos mundanos.

O seguinte texto de Ellen G. White: "Vi um grupo que se achava bem guardado e firme, não dando ouvidos aos que queriam abalar-lhe a fé, Deus olhava-o com aprovação..." diziam-me referir-se ao grupo separado em 1914, quando o mesmo se refere aos poucos fiéis adventistas de 1884, depois das duas decepções e muitas lutas. (Ler o capítulo "Uma Firme Plataforma", e notar a falsa interpretação reformista.)

As palavras do pastor Roberto Atkins: "Apostasia, apostasia, estás mesmo gravada na frente de cada igreja...", falando das igrejas protestantes da Inglaterra, foram-me por eles (os reformistas) invertidas contra a igreja adventista, como sendo palavras da irmã White.

O trecho de Test. Seletos, Vol. 2, pág. 421: "Abaixar as normas a fim de conseguir popularidade e aumento de número e fazer depois desse acréscimo motivo de regozijo,

mostra grande cegueira...", era a mim por eles apresentado como terrível marretada nas costas dos adventistas. Quando li todo o capítulo e vi que a irmã White se refere a escolas e professores que queriam apenas aumento de alunos, convenci-me de que os reformistas de 1914 são acusadores e caluniadores do povo de Deus, e torcedores dos testemunhos do Espírito de Profecia.

Poderia citar mais trechos torcidos por eles, como a visão dos dois mapas, a qual nada tem que ver com o ano de 1914, mas sim com o desapontamento de 1844 etc.

Minha Decisão

Prosseguindo em ler os escritos da irmã White encontrei vários trechos que me despertaram a consciência de que estava do lado dos acusadores do povo de Deus — povo que, apesar de fraco e defeituoso, constitui a Igreja Remanescente, da qual diz a serva do Senhor: "Poderá parecer que a igreja está para cair, mas não cairá. Ela permanecerá..." —Carta 55, de 1886.

Compreendi que os dois por cento de 1914 estão incluídos na seguinte classe de grupos descritos pela irmã White:

"Erguem-se continuamente pequenos grupos que creem que Deus está unicamente com os poucos, os dispersos, e sua influência é derribar e espalhar o que os servos de Deus constroem. Espíritos desassossegados, que desejam ver e crer constantemente alguma coisa nova, surgem de contínuo, uns aqui, outros ali, fazendo todos uma obra especial para o inimigo, e, todavia pretendendo possuir a verdade. Eles ficam separados do povo a quem Deus está conduzindo e fazendo prosperar, e por meio de quem há de realizar SUA GRANDE OBRA.

... Alguns desses professam possuir os dons entre eles; mas são levados, mediante a influência e os ensinos desses dons a pôr em dúvida aqueles a quem Deus confiou o especial encargo de Sua obra, e a tirar uma classe de pessoas do corpo da igreja... Toda a gratidão por eles manifestada... é levantarem-se como Coré, Datã, Abirã, e infamarem aqueles sobre quem Deus colocou a responsabilidade de Sua obra... “— Test. Seletos, Vol. 1, págs. 166 e 168.

E confiante nas seguintes palavras do Espírito de Profecia: “Não há necessidade de duvidar, de temer que a obra não terá êxito. Deus está à frente da obra, e Ele porá tudo em ordem. Se na direção da obra, houver coisas que careçam de ajustamento, Deus disso cuidará, e operará para corrigir todo erro” (S.T.M., Vol. II, 363) foi que abandonei o movimento separatista de 1914 e uni-me à Igreja Remanescente — Adventista do Sétimo Dia.

Que o Espírito Santo toque o coração de cada fiel servo de Deus que se encontre preso nas teias de ensinos dos pretensos reformistas, e considere a razão à luz da Bíblia e dos Testemunhos, e volte para a casa paterna, ajudando a construção da grande obra que jamais cairá — a Mensagem Adventista do Sétimo Dia.

Este é o desejo ardente e constante oração do humilde servo de Deus,
— Eliseu Menezes de Lima

Fonte: Revista Adventista, Junho/Julho/Agosto/Setembro de 1962

7 comentários :

  1. brincadeira: adventista igreja remanescente? e um antro de podridao sao proselitas aceitam todo tipo de gente temhomossexuais tomando ceia enfim nao pregam mais a verdade so bobeiras se deus esta com eles entao estamos todos perdidos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tony quem disse que a igreja adventista era a igreja remanescente foi nada mais nada menos que Ellen White e ela morreu membro da igreja adventista, além de deixar todo seu patrimônio para os adventistas administrarem. Agora vem você contradizer a profetiza? Não crê que ela foi profeta de Deus? Se não crê em Ellen White é melhor procurar outra religião para você e principalmente não discuta sobre aquilo que não sabe e não leu!

      Excluir
    2. Aqui vai para você alguns textos dela falando que a igreja adventista era o remanescente:

      "Sejam todos cuidadosos para não clamarem contra o único povo que está cumprindo a descrição dada do povo REMANESCENTE, que guarda os mandamentos de Deus e tem a fé em Jesus. ... Deus tem um povo distinto, uma igreja na Terra, inferior a nenhuma outra, mas a todas superior em suas facilidades para ensinar a verdade, para vindicar a Lei de Deus. ... Meu irmão, se estais ensinando que a Igreja Adventista do Sétimo Dia é Babilônia, estais errado". Testemunhos Para Ministros, págs. 50, 58 e 59.

      "Deus tem um povo em que todo o Céu se acha interessado, e eles são o único objeto na Terra, precioso ao coração de Deus. Que todos os que lerem estas palavras lhes dêem toda a consideração; pois em nome de Jesus desejo com elas impressionar cada pessoa. Quando se levanta alguém, de nosso meio ou fora de nós, tendo a preocupação de proclamar uma mensagem que declare que o povo de Deus pertence ao número dos de Babilônia, e que pretenda que o alto clamor é um chamado para sair dela, podereis saber que esse tal não é portador da mensagem de verdade. Não o recebais, não lhe desejeis bom êxito; pois Deus não falou por ele, nem lhe confiou uma mensagem, mas ele correu antes de ser enviado. A mensagem contida no folheto intitulado O Alto Clamor, é um engano. Semelhantes mensagens hão de apresentar-se e delas será declarado serem enviadas de Deus, mas tal declaração será falsa; pois não estão cheias de luz, mas de trevas. Surgirão mensagens de acusação contra o povo de Deus, imitando a obra feita por Satanás em acusar o povo de Deus, e estas mensagens serão proclamadas na mesma ocasião em que Deus diz a Seu povo: "Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti. Porque eis que as trevas cobriram a Terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a Sua glória se verá sobre ti." Isa. 60:1 e 2. Ver-se-á que estes que proclamam mensagens falsas não terão um alto senso de honra e integridade. Enganarão o povo, e porão de mistura com o erro os Testemunhos da irmã White, servindo-se de seu nome para dar influência à sua obra. Escolhem dos Testemunhos certos trechos que acham que podem ser torcidos de modo a apoiar sua atitude e põe-nos numa moldura de falsidade, para que o seu erro tenha peso e seja aceito pelo povo. Dão falsa interpretação e aplicam mal o que Deus deu à igreja para advertir, aconselhar, reprovar, confortar e animar os que constituirão o POVO REMANESCENTE de Deus. Os que acolhem os Testemunhos como a mensagem de Deus, são por eles abençoados e auxiliados; mas os que os fragmentam, simplesmente para apoiar alguma teoria ou idéia pessoal, para defender um procedimento errado, não serão abençoados e beneficiados por aquilo que ensinam. Pretender que a Igreja Adventista do Sétimo Dia seja Babilônia, é fazer a mesma declaração que faz Satanás, que é um acusador dos irmãos, acusando-os dia e noite perante Deus. Por esse mau emprego dos Testemunhos, pessoas são levadas à perplexidade, porque não podem compreender a relação dos Testemunhos para com a atitude assumida pelos que se acham no erro; pois Deus deseja que os Testemunhos estejam sempre emoldurados na verdade. A igreja remanescente, págs 38 e 39

      Excluir
    3. "O inimigo das almas tem procurado introduzir a suposição de que uma grande reforma devia efetuar-se entre os adventistas do sétimo dia, e que essa reforma consistiria em renunciar às doutrinas que se erguem como pilares de nossa fé, e empenhar-se num processo de reorganização. Se tal reforma se efetuasse, qual seria o resultado? Seriam rejeitados os princípios da verdade, que Deus em Sua sabedoria concedeu à igreja remanescente." Mensagens Escolhidas - Volume 1 pág. 204

      "Os conselhos contidos neste volume serão de valor particular aos Adventistas do Sétimo Dia no prepará-los para resistir aos ataques que o adversário das almas fará à igreja remanescente em forma de fanatismo, ensinos enganosos, e movimentos errôneos e subversivos." Mensagens Escolhidas - Volume 2 pág. 9

      Penso que esses já são suficientes para provar que você está equivocado e não crê nos testemunhos de Ellen White.

      Excluir
    4. Eu pertenci a um grupo de reformista por vários anos. Veja o que ocorreu. Eles tem uma cronologia montada o seu modo, para dizer que a igreja Adventista não é mais a igreja de Deus, um dia eu lia um texto no livro Mensagem Escolhidas, na casa onde se encontrava vários lideres daquele grupo, pois ficou designado que eu escolheria a mensagem de por do sol, A mensagem dizia que Este barco nunca vai afundar (da igreja Adventista) Eles ficaram atónitos e me perguntaram que pagina você esta lendo? O livro estava na estante destes lideres e não conheciam o texto, pode isto? Um abraço. Entre no meu Blog : http://adventmedidas.blogspot.com.br/

      Excluir
    5. Quer dizer que na reforma não existe podridão?

      Excluir
  2. Se os adventistas se consideram os remanescentes, então, porque não estão enfrentando o conflito no Oriente Medio entre judeus e árabes palestinos?
    Se consideram os israelitas remanescentes, deveriam estar lá, em Israel defendendo sua Nação e seus interesses.

    ResponderExcluir

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...