quinta-feira, 7 de junho de 2012

Breve história da Igreja Adventista do Sétimo Dia Movimento de Reforma Segundo Albert Müller

Conforme relatado por Albert Müller, ex-pastor reformista e ex-presidente da CG da IASD-MR, que passou a ser membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia na Alemanha. Traduzido e cedido pelo irmão Francisco Palfi, ex-obreiro da Reforma.

Na história da Igreja de Cristo, encontramos experiências que revelam o grande conflito entre a luz e as trevas. Quando Deus, neste Mundo, pretende iniciar uma obra, Ele a legaliza pela firme palavra profética.


João Batista, o precursor de Jesus, podia provar sua Missão e Obra pela profecia de Isaías 40:3 e Malaquias 3:23. Os quatro evangelistas confirmam a Obra de João Batista como obra profetizada. Mateus 3:3, Marcos 1: 2-3, Lucas 3:4, João 1:23.


A obra de preparação para a segunda vinda de Cristo também é documentada pela Palavra Profética. O tempo profético é predito em Daniel 8:14, e a obra profetizada e sua extensão mundial encontramos em Apoc. 14: 6-12. A igreja profetizada tem o nome de "LAODICÉIA", Apoc. 3:14-22. Temos também a confirmação profética de que Cristo, o Senhor da igreja, estará com ela até o fim dos tempos. Apoc. 1:13.

O cumprimento desta obra profetizada é efetuado pela Igreja Adventista.

O Senhor mesmo abençoou, dirigiu e conduziu esta Obra. A história traz o selo de Deus. Confrontemos agora esta Obra com a história da igreja separatista, o "Movimento de Reforma".

Uma História de 50 Anos 

Em 1919, depois da primeira guerra mundial, realizou-se em Erfurt, a primeira Conferência do Movimento de Reforma. Naquele tempo o nome era "Sociedade Missionária Internacional dos Adventistas do Sétimo Dia". O nome "Movimento de Reforma" foi adotado somente em 1922. As Conferências seguintes realizaram-se em Magdeburg, Wurzburg, Frankfurt, Bebra e Gotha.

Dois anos depois da primeira guerra mundial, o Senhor concedeu oportunidade aos irmãos do "Movimento de Reforma" de entrevistarem-se com os irmãos da Associação Geral, o seu presidente, irmão Daniells, e os irmãos dirigentes das três Uniões Alemãs. Esta entrevista realizou-se de 21 a 23 de julho de 1920, depois de dias de contendas e debates pela posse das mais altas posições. E o resultado foi uma divisão geral no Movimento.

Desde 1951 existem duas Associações Gerais dos reformistas. Ambas as partes aceitaram os Princípios de Fé de 1925. Acusam-se mutuamente de apostatarem destes princípios, e se empenharam numa. luta fora dos limites cristãos. Surgiu a contenda em torno do nome e posse da propriedade adquirida em Sacramento, USA. Ambas as partes reclamavam para si o mesmo nome e a propriedade. Iniciou-se uma ação perante a justiça, em Sacramento, que deveria decidir, qual das partes teria o direito ao nome e propriedade. Mas a queixa foi retirada na sala de audiência, antes do início judicial.

A primeira assembléia da Associação Geral da nova Organização, realizou-se em 1955 em São Paulo (Brasil). Apesar dos esforços de diversos irmãos e delegados a favor da reconciliação e união, entre os dois Movimentos de Reforma, não chegaram a um acordo.

Cinco anos depois da desastrosa assembléia da Associação Geral de Utrecht, realizou-se, no ano de 1956, em Speele, Alemanha, uma assembléia do antigo Movimento de Reforma. Nesta surgiram novamente debates durante vários dias em torno do parágrafo 18 dos Princípios de Fé. É o infeliz parágrafo do 'matrimônio, que desde o início foi a causa de inumeráveis contendas. O parágrafo 16 foi também abordado.

Na direção efetuou-se uma mudança, que resultou em discórdias. Na assembléia realizada no ano de 1960, na Holanda, surgiu novamente um grande debate e discussão em torno dos Testemunhos da irmã E. G. White. Tratava-se dos Testemunhos que não foram publicados enquanto ela vivia. São as cartas e Manuscritos, que podem ser encontrados e vistos no Arquivo da Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia, em Washington, onde são cuidadosamente guardados. Estes Testemunhos são publicados nos livros: "Evangelismo" (1946), "Lar Adventista" (1952), e "Mensagens Escolhidas" livros um e dois (1958). Duvidou-se de muitos Testemunhos. Mediante esta posição assumida, o Movimento de Reforma condenou-se a si mesmo.

A última assembléia da Associação Geral Reformista realizou-se no ano de 1966, em Obendorf (Alemanha). Surgiram debates e discussões em torno do parágrafo 16 dos Princípios de Fé, se a Igreja Adventista é "Babilônia" ou apenas uma parte dela. Com poucos votos contrários, foi novamente confirmada a posição anterior: Babilônia.

É lamentável que este erro continua a ser sustentado, porque a irmã White afirma positivamente o que significa Babilônia e a quem se aplica.

Por adquirir, em 1926, um novo centro missionário, a sede do Movimento de Reforma foi transferida de Wurzburg para Isernhagen, próximo de Hanover. Foi instalada uma tipografia própria, e deu-se o início à colportagem, com Tratados e literatura missionária.

Depois de um breve tempo de calma, surgiram contendas entre as famílias dos irmãos dirigentes que residiam na sede da Obra. Os resultados foram exclusões da igreja e o surgimento de mais um novo "Movimento de Reforma", com sede em Saarbruken. Depois de seis anos este Movimento dissolveu-se. A maioria dos membros deste Movimento uniram-se à Igreja Adventista.

Em1934 realizou-se uma Assembléia da Associação Geral do "Movimento de Reforma", em Budapeste (Hungria). Nesta reunião foi decidida e feita uma mudança na direção do Movimento. Esta mudança causou grave contenda com os irmãos da América do Norte. Estas contendas continuaram por muitos anos.

Em abril de 1936, na Alemanha, o "Movimento de Reforma" foi proibido e dissolvido. Depois da Segunda Guerra Mundial, os diversos grupos reformistas na Alemanha e em outros países uniram-se. Novos Centros Missionários foram estabelecidos em Solingen e Esslingen no Nockar. Surgiram contendas e divergências na Comunidade, que resultaram em exclusões. Mais uma vez estabeleceu-se uma nova Organização de reformistas com o nome que existe ainda hoje.

Para o ano de 1948 preparou-se uma assembléia da Associação Geral, que se realizou em Den Haag, na Holanda. Dois irmãos logo no início tentaram apoderar-se da direção. Foram examinados por uma comissão e declarados rebeldes. Eles reconheceram o erro. Houve uma reorganização na Associação Geral, e a sede foi transferida para os Estados Unidos. Para isto foi adquirida uma propriedade em Sacramento, Califórnia, USA., e estabelecida uma nova sede missionária.

Poucas semanas depois, um dos irmãos dirigentes separou-se, iniciando sua própria obra. Neste mesmo ano, a União Norte Americana foi excluída da Comunidade do Movimento, pelo presidente e secretário da Assembléia Geral. E assim se estabeleceram dois Movimentos de Reforma nos Estados Unidos.

No ano de 1949, foi estabelecido, em Speele, Honovers-Munden, na Alemanha, uma nova sede Missionária, e junto a esta uma Escola Missionária. Esta mesma sede encontra-se hoje em Jagsthausen, perto de Heilbron, no Nockar. A propriedade em Speele foi transformada num Asilo de Velhos. Em Obendorf, no Schorndorf (Wurtenberg), instalou-se a Clínica Elim.

No ano de 1951, foi convocada a assembléia da Associação Geral, em Utrecht, Holanda. Desuniões e separações foram os resultados entre os irmãos dirigentes, em Friedensau. Do relatório oficial descrito no Protocolo, nota-se que o irmão Daniells esforçou-se ao máximo para conseguir uma reconciliação e união entre as duas partes. Tudo se centralizou na dureza do coração, e posteriormente se comprovou que os irmãos representantes da Reforma não desejavam a reconciliação. Quando um irmão, depois da oração do irmão B., em favor da união, respondeu em voz alta: Amém, foi repreendido pela sua atitude. Esta posição trouxe um futuro bem difícil para aqueles irmãos.

No ano de 1922, realizou-se em São Francisco, a Assembléia da Associação Geral da Igreja Adventista. Para esta foram convidados dois irmãos do Movimento de Reforma, mas por falta de motivos não houve entrevista. Depois do encontro de Friedensau, em 1920, os irmãos reformistas continuaram com maior ímpeto sua obra de perturbação e acusação nas igrejas, qualificando-as de Babilônia.

Graves crises e perturbações com os seus resultados acompanharam o Movimento de Reforma, por meio do fanatismo, desunião, ensinos e opiniões discordantes e outras sem valor e inúteis. Em 1916, veio uma sacudidura por meio do Movimento das Cabanas, segundo Zacarias 14:16-19, que ainda subsiste, dividido em várias ramificações. Apareceu também a assim chamada "Terceira Parte", os Antiquadristas, segundo Zac. 13:9; também desta restou um remanescente. Levantaram-se irmãos procurando introduzir um sistema de 12 apóstolos, e, baseado em Apoc. 18:4, apareceu um quinto agente lutador. Com diversas idéias e pensamentos fanáticos e extremistas, até hoje o Movimento de Reforma está sendo assaltado, conforme se nota em sua literatura e na Revista extra de 1919.

As mencionadas conferências realizadas em Magdeburg, Wurzburg, Frankfurt, Bebra e Gotha testemunharam a desunião e as controvérsias. Em Wurzburg, separou-se o território Suíço e, em Bebra, em 1924, foi excluído o território Norte-Alemão, que se organizou como Movimento de Reforma e, depois de alguns anos, dissolveu-se.

A primeira assembléia ordinária da Associação Geral (Reformistas) para a qual afluíram representantes de vários países europeus, realizou-se em 1925, em Gotha, em conseqüência da contínua desunião entre os dirigentes da União Alemã. Nesta assembléia foram elaborados e publicados os "Princípios de Fé". Os mesmos até hoje são motivo de discórdias, discussões e debates, e, em certas ocasiões, até recusa de alguns parágrafos. Em particular o parágrafo 16 é o ponto mais debatido. Ele se refere ao "Alto Clamor", conforme Apoc. 18:1-4, que devia dar ao "Movimento de Reforma" uma base profética. Porém, todo aquele que estudar o capítulo "A última advertência", de O Grande Conflito, compreenderá que esta obra ainda está no futuro, e não começou há quase 50 anos atrás.

Um Encontro Sem Resultado 

Os irmãos reformistas alemães, dirigiram um apelo por escrito à Igreja Adventista do Sétimo Dia (Divisão Central Européia), manifestando o desejo de terem uma entrevista.

Isto foi realizado numa quarta-feira, 18 de novembro de1964, em Marienhohe, Darmstadt. Durou, com alguns intervalos, o dia todo. Separaram-se com o propósito de ser marcada uma data posterior, para continuação da entrevista. Mas, que decepção! Os artigos publicados nos anos de 1965 e 1966 nos órgãos oficiais "Sabbatwachter e Harold der Reformation", expressaram-se numa linguagem diferente, não de reconciliação e união. Novamente se comprovou que a maioria dos irmãos reformistas não desejava a reconciliação. Esta atitude é contrária à súplica proferida na oração sumo-sacerdotal de Jesus.

Um Balanço Depois de 50 Anos 

Depois de 50 anos de trabalho, desde a primeira conferência de 1919, notou-se, nos países mencionados, visíveis progressos. Porém, a grande e mundial divisão, no ano de 1951, contribuiu para o declínio e fim do progresso do Movimento de Reforma. O tempo, o trabalho e os meios foram em grande parte empregados numa guerra mútua entre irmãos. Os esforços das duas Assembléias Gerais Reformistas, para uma conciliação e união, até o dia de hoje falharam. Em combater a Igreja Adventista estão de acordo e unidos, assim como foram Pilatos e Herodes contra Jesus. Tal sintoma merece consideração.

A tarefa principal, a salvação de almas, tornou-se assunto de pouca importância. Durante os últimos anos muitos irmãos, entre estes, presidentes, pastores e diversos outros funcionários do Movimento de Reforma, aderiram ao Movimento Adventista. Estão agora felizes e unidos na profetizada Obra de Deus. Existem países, cidades e vilas, onde outrora se encontravam florescentes igrejas e grupos do Movimento de Reforma, e que hoje quase não se encontra reformista algum. A dissolução continua sem parar. Em alguns lugares surgiram mais outros fragmentos, e até famílias dividiram-se em vários partidos. O Evangelho do amor fraternal, da caridade e da união, depois de 50 (cinqüenta) anos de existência, deixou de cumprir-se. A árvore da Reforma não produziu bons frutos, Se esta árvore tivesse raízes proféticas teria um quadro diferente. Disse Jesus: "Pelos frutos se conhece a árvore".

A Oração Para Esta Hora, Para Todos os Reformistas 

"Vinde, e tornemos para o Senhor, porque Ele nos despedaçou, e nos sarará; fez a ferida, e a ligará." Oséias 611.

"Deu-nos o Senhor em Sua Palavra, instruções definidas e inequívocas, e na obediência a elas podemos preservar a união e harmonia na igreja. Irmãos e irmãs, estais dando ouvidos a essas ordens inspiradas? Sois leitores da Bíblia, e praticantes da Palavra? Estais lutando para cumprir a oração de Cristo, de que Seus seguidores sejam um? 'O Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus. Para que concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.' Rom. 15:5 e 6. 'Quanto ao mais, irmãos, ... sede perfeitos, sede consolados, sede de um mesmo parecer, vivei em paz; e o Deus de amor e de paz será convosco.' II Cor. 13:11." – Testemunhos Seletos, vol. II, pág. 89.

Não queremos juntos agradecer a Deus pela tríplice mensagem angélica de Apoc. 14, que hoje é proclamada por 55.000 obreiros, e em quase 1.000 idiomas? Todos nós temos motivo de alegrar-nos que pelo Rádio e Televisão a mensagem da breve vinda de Jesus Cristo alcançou o Globo todo. Nos cinco continentes está sendo levada avante a mensagem de boas novas pela Obra Médico-Missionária por meio de 20.000 médicos e enfermeiros, e mais de 300 hospitais, sanatórios, clínicas e postos de saúde. Lanchas missionárias prestam auxílio aos pobres e enfermos em regiões distantes.

A organizada obra da Assistência Social, indicada nos Testemunhos pela irmã E. G. White, presta anualmente auxílio em dez milhões de casos.

Todo adventista do sétimo dia é convidado, por meio de trabalho de casa em casa, a entregar a Bíblia aos homens, esclarecendo-lhes a verdade. O livro O Grande Conflito, de E. G. White, editado em brochura e vendido pelo prego de 5 (cinco) marcos (alemães), permite a todos adquiri-lo. Está sendo espalhado em grande quantidade.

Prezado irmão e irmã, venham e ajudem vocês também.

"E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve diga: Vem. E quem tem sede venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida." Apoc. 22:17.

Minhas carinhosas saudações,
vosso, Albert Müller 

Fonte: Capítulo 20 do livro "Uma luz que alumia"

Um comentário :

  1. Você postou :"Em abril de 1936,na Alemanha,o movimento de reforma foi proibido e dissolvido".Eu lhe pergunto:Por quem e porque o Movimento de Reforma foi proibido e dissolvido em 1936 e a Igreja Adventista do Sétimo dia não foi? Essa resposta é simples .A Reforma tem o princípio de guardar os dez mandamentos incluindo o sexto,NÃO MATARAS,por esta nobre razão os NAZISTAS liderados por Adolf Hithler os proibiu e dissolveu.Os admiro como heróis do Senhor ! Pena que a igreja Adventista não fez o mesmo ! Por isso ela não foi proibida em plena guerra pelos nazistas.Se ela houvesse feito igual a reforma,a reforma não teria necessidade de existir. Ajudar os assassinos dos nazistas é grave demais para quem precisa evangelizar o mundo!!! Reflita !!!

    ResponderExcluir

Ao fazer seu comentário lembre-se de falar sobre o tema da postagem e não coloque endereços de outros sites e blogs. Não publico comentários que não estejam de acordo com as regras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...